ga('send', 'pageview');

Tese de Doutorado: A pena que vale a pena: alcances e limites de grupos reflexivos para homens autores de violência contra a mulher

Feminismos e Masculinidades: novos caminhos para enfrentar a violência contra a mulher
Maio 28, 2016
Dissertação de Mestrado: Violência doméstica e de gênero: perfil sociodemográfico e psicossocial de mulheres abrigadas
Maio 28, 2016
Documento: Tese de Doutorado
Autor: Prates, Paula Licursi (Catálogo USP)
Nome completo: Paula Licursi Prates
Unidade da USP: Faculdade de Saúde Pública
Área do Conhecimento: Saúde, Ciclos de Vida e Sociedade
Data de Defesa: 2013-05-15
Imprenta: São Paulo, 2013
Orientador: Alvarenga, Augusta Thereza de (Catálogo USP)
Banca examinadora:
Alvarenga, Augusta Thereza de (Presidente)
Adorno, Rubens de Camargo Ferreira
Blay, Eva Alterman
Falcão, Marcia Thereza Couto
Pasinato, Wânia
Título em português: A pena que vale a pena: alcances e limites de grupos reflexivos para homens autores de violência contra a mulher
Palavras-chave em português:
Gênero
Grupos Reflexivos
Homens Autores de Violência
Lei Maria da Penha
Masculinidades
Violência Contra a Mulher
Resumo em português
Introdução: O estudo das masculinidades e suas relações com a ocorrência da violência contra a mulher são decorrentes dos estudos de gênero. Para enfrentar o problema e incorporando esta tendência, a Lei Maria da Penha recomenda o encaminhamento de homens autores de violência contra mulher a serviços específicos, sendo o grupo reflexivo uma das possibilidades de intervenção. Objetivos: Caracterizar o perfil de homens participantes do grupo reflexivo; descrever como a dinâmica e os conteúdos veiculados no grupo mobilizam a reflexão; identificar que aspectos das falas dos sujeitos são indicadores de novas posturas e ressignificações das relações; analisar alcances e limites de grupos reflexivos como estratégia de enfrentamento à violência contra as mulheres. Método: Pesquisa qualitativa, do tipo estudo de caso, centrada na análise de um grupo composto por homens autores de violência contra a mulher, encaminhados pela justiça para cumprimento de medida judicial. Os dados sociodemográficos e criminais dos homens foram coletados em formulários e boletins de ocorrência. As falas dos sujeitos foram obtidas através de gravação dos grupos e de entrevistas individuais. As falas foram transcritas e interpretadas por meio da análise temática e discursiva, bem como à luz da literatura sobre gênero, violência e masculinidades. Os grupos foram conduzidos por profissionais vinculados a uma ONG, em parceria com o 1º Juizado de Violência Doméstica e Familiar de SP. Resultados e discussão: Os homens, inicialmente, sentem-se vitimizados e injustiçados diante da medida judicial de participação no grupo, não se identificam como autores de violência, apresentam concepções tradicionais do padrão de masculinidade hegemônica. No decorrer do processo, o acolhimento, as intervenções dos facilitadores e a vinculação dos homens ao grupo possibilitaram a ampliação de suas visões de mundo, de modo que as questões relacionadas ao uso da violência de gênero, masculinidades, direitos das mulheres e relacionamentos fossem flexibilizadas e ressignificadas. A maioria referiu adoção de novas posturas e atitudes frente a situações de conflito, procurando evitar o uso de violência em seus relacionamentos. Ao término da participação o grupo é percebido, pela maioria, como espaço que traz contribuições. Considerações Finais: A análise demonstrou que a estratégia de grupos reflexivos para homens autores de violência contra a mulher representa uma iniciativa promissora, a ser utilizada nos serviços de responsabilização para os agressores. Além disso, é importante que tais serviços sejam implantados como parte de uma política pública, vinculada à justiça e integrada à rede de serviços. A consolidação desta política pode ser entendida como um avanço na implementação da Lei Maria da Penha e no enfrentamento à violência contra a mulher
Tese completa para download aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *